Desfralde… O treco eterno.

2016_04_07 - Desfralde eterno

Dias atrás estava cansada de levar tanta mijada. Assim mesmo, na lata. E tava meio de bode, porque a pessoa que não aceita fralda é a mesma que também começa a dançar assistindo qualquer coisa e “iquéci” de avisar que a pingolinha vai funcionar.

Daí a pessoa passou a tomar a decisão sozinha. Estava lá na sala, pãns, feliz da vida. Eu olhava 36 segundos depois, o moleque havia sumido. Corria e encontrava com ele no banheiro… Aí tu pensa – “Pow THati, que bom!! Ele não pede mas ia pra lá!” – e eu digo – “Sim, é verdade, bacanão isso aê”. Agora o que tus não sabe é da segunda parte: ele estava segurando a mangueirinha e lavando as paredes. Assim, super feliz. E ainda manda um “Ó mamain Thati, buniiiiiitu!”. OK, melhor no banheiro que pela casa, mas, manooooow, tem que lavar tudo?!?

Cara, o desfralde as vezes parece eterno. Só quando a gente pára e racionaliza a coisa toda é que se dá conta: todo esse processo mesmo, de xixi descontrolado e tal, durou cerca de 1 semana, embora eu tenha sentido como se estivéssemos desfraldando há 1 ano. Rsrsrsrsrsrs

Fato é que, se passaram 40 dias desde a decisão dele e já não temos mais escapes, ou pelo menos aqueles de rotina. E, percebemos que o desfralde noturno também começou, porque as vezes ele acorda a noite e pede para fazer xixi… Ou acorda pela manhã sequinho e, antes do “ooooom dia!” vem um “mamaaaaaain, té cicí! Cóóóóeeeeee!”.

Nóis parece boa mãe, mas nóis cansa as veiz, viu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *