Arquivos da categoria: Uncategorized

THati, o que Nonô tem?

Antes de tudo, se você está chegando agora e ainda não deu uma passadinha na descrição do blog, vamos as ambientações: a pessoa que vos escreve é mãe. De duas pessoas lindas, Tito e Nonô. Esse último está na “crista da onda”, já que nasceu há 2 meses, e é sobre quem falarei agora.

Desde as notícias a respeito de seu nascimento e das primeiras fotos de Nonô, sempre recebo essa pergunta assim que o veem. E não, não me incomoda! Resolvi escrever sobre isso porque imagino que seja uma pergunta em muitas cabeças que, eventualmente, não encontraram uma maneira de perguntar. Vou resumir aqui o que ele tem, já que é muita coisa. Prepare-se.

Em linguagem não técnica:

Nonô tem um olhar arrebatador. E usa isso d-e-s-c-a-r-a-d-a-m-e-n-t-e, já agora, no auge de seus 2 meses.

Nonô tem muito cabelo. Muito mesmo! E a textura do cabelo dele é a coisa mais engraçada e fofa que já vi. Parece com uma pelúcia… Tanto que lhe rendeu ainda mais um apelido familiar: cabeça de ursinho. <3

Nonô tem um cheirinho doce. É verdade!! Desde a primeira fungada que dei nele, senti. E olha que tinha vérnix e líquido amniótico para todo lado! rsrsrs Mas sim, é um cheiro que eu jamais esquecerei. Aliás, espero mesmo contar com esse artifício, principalmente quando ele tiver uns 18 anos e chegar em casa depois de praticar algum esporte.

Nonô tem dedos compridos. As mãos dele são enormes!

Nonô tem olhos cinzas, pelo menos por enquanto.

Nonô tem orelhas peludas. E as costas também. E daí, claro, não poderíamos deixar de dar mais um apelido: “Nonô Ramos”. (Nota: sim, aqui em casa todos temos muitos, muitos apelidos.)

Nonô tem cílios pequenos. Ás vezes tenho dúvida se não está virado e fico na maior neura para ele abrir os olhos. Sinto que ele reclama mentalmente quando o cutuco para isso.

Nonô tem perninhas torneadas. E muito serelepes!!! Descobrimos isso ainda na gestação, porque em todos os ultras elas estavam a fazer malabares!

Nonô tem bochechas altamente “sedutivas”.

Nonô tem uma fome de leão. Acho que depois de nossas longas conversas, onde o orientei a se alimentar bem para crescer e ficar fortinho, ele entendeu.

Nonô tem o sorriso mais gostoso dos últimos tempos. E ele faz isso dormindo! Isso é novidade, começou há uns 15 dias, e é muito engraçado. Mini-gargalhadas. Nos fazem rir um tempão, mesmo nas madrugadas.

Nonô tem curiosidade. Sempre em busca dos sons ao redor.

Nonô tem um irmão bacanudo! As crises de ciúmes tem ocorrido com menor frequência que os ataques de fofura, e me parece que Tito tem o melhor colo do mundo, porque basta colocar Nonô lá que, plim, é silêncio-beijinhos-carinho-olhares. Por segundos, é verdade, mas o suficiente para fazer a mamãe aqui vomitar arco-íris.

Nonô tem uma rede e adora “balangar” nela… Sempre brinco que é o habitat natural dele!

Nonô tem slings. E tem que ser assim, no plural, porque ele ama ser slingado. Enquanto é carregado, olha para todos os lados, todos os barulhos… E quando não quer papo, aninhasse ao meu corpo e se rende ao sono.

E, para complementar tudo isso, Nonô tem charme. E um charmezinho de nascença: ele tem lábio leporino. Compartilho o que aprendemos esses dias:

O que é?

Trata-se de uma abertura no lábio, resultado de um desenvolvimento incompleto durante a gestação (primeiro trimestre). No caso dele, é apenas o lábio, ele não tem a fenda palatina (o “céu da boca” dele é totalmente fechado), o que torna a situação menos complexa de se resolver.

Não foi possível detectar durante a gestação (pelas ultrassonografias), e, mesmo que fosse detectado, o tratamento se dá após o nascimento (nos casos envolvendo a fenda palatina, me parece que a cirurgia ocorre na sequência do nascimento).

As internações necessárias nesses dois meses não tem relação alguma com o lábio. Nono nasceu um pouco antes do esperado, tivemos uma complicação pós nascimento e por isso das transfusões (assunto para outro post).

Causas

Infelizmente existem poucas respostas a essa pergunta. Eventualmente hereditário (o que gera uma pré-disposição genética), mas, na maioria dos casos não há registro de antecedência familiar.

Tratamento

No caso do Nonô, inicialmente uma cirurgia plástica resolverá, principalmente porque ele não tem a fenda palatina. Pelo que soubemos até aqui, não requer tratamento contínuo posterior. Mesmo a cirurgia plástica, será avaliado nos próximos meses, quando ele estiver maior (e com lábios maiores!).

Outras possíveis dúvidas x esclarecimentos

– Não temos problemas com a alimentação, que tem sido o aleitamento materno exclusivo. A única coisa que tivemos que nos atentar por aqui, foi a questão da posição: para uma das mamas, adotamos a posição “invertida” ou “cavaleiro”. Mesmo em casos mais severos (associados a fenda palatina), o aleitamento materno exclusivo é possível, com a técnica da ordenha e oferecimento através de bico artificial específico para fissurados.

Dica geral

Preconceito, seja lá com o que for, nunca é bacana. Dessa forma, quando se deparar com diversidades, pratique a combinação: respeito, carinho e empatia.

Fissura lábio-palatal não passa de uma má formação. Tão simples quanto essa definição. Não atribua a má formação um peso maior do que ela realmente tem! E mesmo nos casos mais graves, pense que o peso que a pessoa e a família eventualmente carregam já são suficientes. Encontrou alguém diferente por aí, seja criança ou adulto, lembre-se da combinação mágica!! :)

Enfim, é isso. Em linguagem técnica: Nonô é gostoso e tem charme tipo exportação, para doar e vender.

Quêêêliiiiidaiiis

A pé, a caminho da escola, Tito pára em vários pontos. É para ver uma vitrine colorida, é para papear com o adesivo de um gato na entrada do comércio, é acenando para a “dji-dji” de um petshop (o logo é uma girafa)… Mas, o ponto alto são as árvores!! Pára em todas… A novidade hoje foi o monólogo que segue: 
– Quêêêliiiiidaiiis!!! – com as mãozinhas a frente do peito e na sequência um carinho em algumas folhas. Não sabemos se significa “queridas” ou “que lindas”, mas é algo fofo, pela carinha e entonação do figura.
– Baaaaabaaaaaaaiiiiiiii! – Depois de saber que “oi” é para chegada e “tchau” para saída, evoluímos para um “bye bye” meio indiano. Rsrsrs

Está aqui, caso queiram saber dessa nova espécime.2015_11_06

Avante, Nonô!

É assim ó: os glóbulos ultra-sônicos daquele doador b-a-t-u-t-a, se misturam com os glóbulos marotos de Nonô, e agora fazem uma festa nesse corpinho! Estão de vento em popa!!!
E, para nossa alegria, VOLTAMOS PARA CASA!! Olha como ele está ainda mais fofo, minha gente… rsrsrsrs Canso de babar não!

Seres… Seeeeeeeeres!!! Seres!!! Que movimento lindo vocês fizeram naquele Hemocentro… Aliás, que continuam fazendo! E peço gentilmente para que não parem. Se você ainda não foi, não deixe de ir. As vezes, não temos ideia do quanto essa ação é importante, mas, olha que mágico isso aqui (para nós, fica mais fácil assimilar com números): Pelos amigos que doaram e nos avisaram, já foi possível repor 100 vezes o que Nonô recebeu. SIM, 100 VEZES!!! Isso é incrível!!!
Claro que a quantidade que um bebê recebe é pequena, mas, essa quantidade já doada certamente salvará muitos adultos também.
Entãããããããooooo, “vamos dobrar a meta” (rsrsrs)?!? Vamos chegar a 200 vezes?! Acreditem, é totalmente possível!!
Vamos lá, o feriado está chegando, infelizmente sabemos dos inúmeros acidentes nas estradas e quantas pessoas precisarão de sangue. E com tanta energia positiva, esse “sanguinho esperto” vai sair “curando o povo tudo” por aí!

Vocês são lindos. Vocês são demais. Vocês são nossos amigos… Os melhores que alguém poderia ter!

Nosso e-t-e-r-n-o agradecimento a todo carinho, esforço, energias positivas, orações e apoio nas mais variadas formas. Todas as formas de amor.

Um beijo, um abraço e um aperto de mão dessa família que está em festa!
<3 Thati, Re, Tito e Nonô <3

Doação de Sangue em favor de Nonô

Nonossauro precisou essa noite “calibrar os pneus”/ “recarregar a bateria”/ “beber o chorinho”/ “dar um gás extra” nessa delicia de corpinho, ooooouuu sejaaaaaa, ele precisou receber um “sanguinho complementar” (chamam isso de Transfusão, mas nós, inclusive ele, acha mais bacana nossa explicação não técnica). Embora ainda estejamos na UTI, como diria um super herói super conhecido, “não priemos cânico”: o quadro é estável, ele está se recuperando bem e estou certa de que logo logo estaremos novamente em casa!!! O moleque é forte, e, como todas as coisas que nos acontecem, sabemos que há um motivo maior para que tenhamos essa vivência. Sigamos!

“Ah, legal THati, então para que veio aqui contar isso?” – Posso ouvir essa perguntinha saindo dos dedinhos ansiosos de algumas miguxos. Entããããããoooooo, vamos lá:
O sangue que Nonô recebeu veio de uma pessoa b-a-t-u-t-a que fez uma doação voluntária! Agora, precisamos repor esse sangue. Como só conhecemos “sangue bão”, então, precisamos de sua ajuda:
Dá um pulinho no Hemocentro de São Paulo?!? Na verdade, dá um pulo no Hemocentro da cidade aonde estiver?!? Vai lá, feliz da vida, com o coração cheeeeio de amor (porque doar, seja lá o que for, é um ato de amor), bate no peito e fala para a atendente: “Viiiiim aqui doar amoooooooor!!!!”
Péra. Pular no Hemocentro é força de expressão. Chegar lá, pulando, falando que quer doar sangue bão para o NonossauroRex, certamente acharão meio esquisito. ‪#‎FicaDica

“THati, sou bacana pacas e quero doar! Onde tenho que ir?!”
Aqui em SP você pode se dirigir aos seguintes endereços:
Hospital Prof. Edmundo Vasconcelos
Rua Borges Lagoa, 1450 – Vila Clementino
Telefone: (11) 5080-4435
Atendimento: Seg a Sexta (8h as 17h) e Sab (8h as 15h)

Avenida Brigadeiro Luis Antonio, 2533 – Jd. Paulista
Telefone: (11) 3373-2050
Atendimento: Seg a Sexta (8h as 17h) e Sab (8h as 15h)

Nos dois endereços tem estacionamento local. Uia, que bacana?!

“THati, mas será que eu posso doar?”
– Se você tem entre 18 e 60 anos, pesa mais que 55kg e estiver em bom estado de saúde, tem grandes chances! Para mais informações, acesse: www.bssp.com.br

“Virgeeeeee, mas será que sou do mesmo tipo de sangue do Nonô?”
Tenho certeza que sim!! Você é sangue bão, você tem o mesmo tipo dele!
Pense em quantos Nonossauros e Nonozão (adultos) tem por aí precisando do seu sangue? Curiosidade: uma bolsa de sangue pode ajudar cerca de 12 bebês!! Você pode fazer muito, camarada!

“Tá, tá… Maaaaaaaaas e a agulha… Dói…”
Se incomodar, faça como Nonô: franza a testa, faz biquinho, segura na mão de Deus e vaaaaaai!
OK, nós sabemos que ser picado nunca é legal, mas fazer uma dessas para ajudar o próximo, é gratificante.

***** Ah!! Os dados do Nonô: Caetano Fagundes Coutinho e Silva, Hospital São Luiz (Morumbi) *****

Um beijo, um abraço e um aperto de mão, seres! E nosso agradecimento antecipado.

A chegada de Nonô

Como um relâmpago, como um tufão, como tudo que a respeitosa mãe natureza faz, a vida nos trouxe o Caetano.

Nasceu decidindo. Nasceu mostrando que a força da vida é tão poderosa quanto a força da morte. Nasceu sua história, renasceu a história de seu irmão, renasceu meus instintos mais primitivos e renasceu a serenidade forte de seu pai.

Nasceu mudando planos. Nasceu quebrando paradigmas e reforçando a lição que venho aprendendo nesse plano: não temos controle de absolutamente nada.

Nasceu em um parto tsunâmico, transcendente, em casa, totalmente diferente do que planejavamos. 
Nasceu sem nos dar tempo de racionalizar.
Nasceu gritando que a vida segue seu ritmo, seu fluxo e percurso.
Nasceu no marco onde saia da prematuridade. 
Nasceu empelicado e, saindo da bolsa veio para meus braços. Antes do seio, procurou meus olhos e nos cumprimentamos como velhas almas.
Tudo estava dito. Tudo estava ali.

Dizem que bebês empelicados são raros, dotados de uma porção extra de sorte. Estão certos: você é raro. É único. E sorte… Sorte temos mesmo, entendemos isso de novo. E além da sorte que redescobrimos e agradecemos aos céus, nós temos a sorte maior de ter recebido você nesse plano.

Nosso coração transborda alegria… E eu sou só amor.

Bem vindo a vida extrauterina, meu filho!!! Bem vindo meu novo ser. Que seu caminhar seja de luz, que sua evolução seja contínua, que no seu coração haja paz e que jamais falte brilho em seu olhar.

Acorda, Titossauro!

Depois de 20 minutos tentando acorda-lo, finalmente, abre os olhos.
– E aí mano-vééééiiiii!!! Bom dia!!!
<Silêncio>
– Ow fiote, força, acorda!! Vamos para escolinha??
<Silêncio>
– Pooooow, cê tá aí Titossauro?? Acordamos!!! Como se fala quando acorda?!

Com um “super ânimo matinal” que lhe é peculiar (#sqn), ele responde:

– U ô ês e djá! (Em tradução livre: 1, 2, 3 e já!) – Vira para o outro lado e dorme de novo.

“Avosidades”

Porque lembrança que nos faz rir, são as melhores! Rindo muito, lembrando da carinha de concha da minha avó quando eu empurrava ou mexia no móvel com ela sentada: Cadeira, cama… Ela “garrava as beira” e sorria! Quando era o sofá, nuooooossa, o sofá a fazia gargalhar!!!
Ta aí, eu tive uma baita sorte!! Que delícias de lembranças…
Não sinto saudade, porque ela nunca se foi da minha memória e coração! E o maior lance do amor talvez seja esse aí: ele é energia. ‪#‎ZoiiinDeGato ‪#‎Bobó‪ #‎Bóbolis ‪#‎VóMaria