Arquivos mensais: setembro 2015

A chegada de Nonô

Como um relâmpago, como um tufão, como tudo que a respeitosa mãe natureza faz, a vida nos trouxe o Caetano.

Nasceu decidindo. Nasceu mostrando que a força da vida é tão poderosa quanto a força da morte. Nasceu sua história, renasceu a história de seu irmão, renasceu meus instintos mais primitivos e renasceu a serenidade forte de seu pai.

Nasceu mudando planos. Nasceu quebrando paradigmas e reforçando a lição que venho aprendendo nesse plano: não temos controle de absolutamente nada.

Nasceu em um parto tsunâmico, transcendente, em casa, totalmente diferente do que planejavamos. 
Nasceu sem nos dar tempo de racionalizar.
Nasceu gritando que a vida segue seu ritmo, seu fluxo e percurso.
Nasceu no marco onde saia da prematuridade. 
Nasceu empelicado e, saindo da bolsa veio para meus braços. Antes do seio, procurou meus olhos e nos cumprimentamos como velhas almas.
Tudo estava dito. Tudo estava ali.

Dizem que bebês empelicados são raros, dotados de uma porção extra de sorte. Estão certos: você é raro. É único. E sorte… Sorte temos mesmo, entendemos isso de novo. E além da sorte que redescobrimos e agradecemos aos céus, nós temos a sorte maior de ter recebido você nesse plano.

Nosso coração transborda alegria… E eu sou só amor.

Bem vindo a vida extrauterina, meu filho!!! Bem vindo meu novo ser. Que seu caminhar seja de luz, que sua evolução seja contínua, que no seu coração haja paz e que jamais falte brilho em seu olhar.